R$12,00 DE FRETE FIXO BRASIL NOS LENÇOS E JÓIAS

Tipos de palha e características

Com o mercado de moda com os olhos voltados para os produtos artesanais, as bolsas feitas em palhas naturais é presença garantida nas passarelas do mundo. São modelos de vários formatos, cores e customizações.

Aqui um rápido apanhado dos tipos de palha usadas na produção das bolsas artesanais:


Palha de Buriti

Oriunda da árvore de buriti (Mauritia flexuosa) é uma das mais singulares palmeiras do Brasil. O buriti é uma espécie abundante no Cerrado e um indicativo infalível da existência de água na região. Na natureza, tudo funciona na base da cooperação mútua. Os buritis também embelezam a paisagem do Cerrado e são fonte de inspiração para a literatura, a poesia, a música e as artes. O buriti também é muito generoso em seus recursos. Seu fruto é uma fonte de alimento privilegiada. Rico em vitamina A, B e C, ainda fornece cálcio, ferro e proteínas. Consumido tradicionalmente ao natural, o fruto do buriti também pode ser transformado em doces, sucos, licores e sobremesas de paladar peculiares. O óleo extraído da fruta tem valor medicinal para os povos tradicionais do Cerrado que o utilizam como vermífugo, cicatrizante e energético natural. As substâncias do buriti também dão cor, aroma e qualidade a diversos produtos de beleza, como cremes, xampus, filtro solar e sabonetes. As folhas geram fibras usadas no artesanato, tais como bolsas, tapetes, toalhas de mesa, brinquedos e bijuterias. Os talos das folhas servem para a fabricação de móveis. Além de serem leves, as mobílias feitas com o buriti são resistentes e muito bonitas. As folhas jovens também produzem uma fibra muito fina, a “seda” do buriti, usada pelos artesãos na fabricação de peças feitas com o capim-dourado. Do buriti, se aproveita tudo.
As bolsas feitas em palha de buriti tem muita durabilidade e é uma das palhas mais usadas no Ceará para a confecção de bolsas por sua beleza e possibilidade de fazer designes bem diferenciados.

Palha de Carnaúba

A carnaúba, é encontrada no nordeste brasileiro, principalmente nos estados do Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte. Dela se extrai a cera usada na fabricação e conservação de vários produtos. A carnaúba também produz um fruto comestível, do qual pode ser extraído óleo, palmito do caule e as raízes são usadas como medicinais. A madeira pode ser utilizada para construções e as fibras são utilizadas para fabricação de redes, bolsas, chapéus, cestos e diversos outros artesanatos que são comercializados na região e no exterior em virtude da beleza e singularidade. A carnaúba é utilizada de forma que não prejudica o meio ambiente. Suas palhas são retiradas de forma que não prejudica a planta e são secadas ao sol, sem consumo de energia produzida de maneira poluente. Na retirada da cera, o que resta se torna adubo. Essa planta muito rica em recursos é muito importante para a economia local, na geração de renda seguindo os preceitos da sustentabilidade como um todo.

Palha Indiana

A Palha Indiana, palhinha indiana ou tela de rattan, como também é conhecida, apareceu no Brasil pela primeira vez no século XVIII como uma alternativa “tropical” aos móveis europeus cheios de estofado. Nessa época a Palha era artigo de luxo e apenas os ricos a tinham em sua decoração. Quem não lembra de já ter visto um móvel de palha indiana na casa da vovó? Pois é, ela agora retorna não só na decoração como ganha um novo espaço na moda. Tendência que chegou nas bolsas e acessórios, agora a palha indiana faz parte da confecção das bolsas de praia, uma ar retro e muito original às peças. A palha indiana é um material natural produzido por diferentes plantas do tipo palmeira, originária de países do continente asiático Indonésia, Índia, Cingapura, Suécia, Noruega, entre outros. As palmeiras escandentes do rattan são compostas por várias fibras entrelaçadas, o que confere a essas plantas uma solidez formidável. A palha indiana natural também é bastante flexível, o que permite fazer tranças e padrões elegantes de ornamentos.

Bambu e Madeira

O bambu não é propriamente uma palha, mas tem se usado usualmente para definir esse tipo de fibra natural quando se fala em bolsa. O bambu é um material sustentável e eficiente em termos de energia. É de rápido crescimento, algumas espécies de bambu alcançam alturas de até 25 metros dentro de 5 anos. Ele é leve, possui alguma maleabilidade e é um recurso natural rapidamente renovável e abundante no planeta, tendo inúmeras finalidades. O plantio de bambu é importante contribuição ambiental, por sequestrar altas taxas de carbono. Na moda, especificamente no Brasil, o bambu é utilizado na confecção de bolsas em substituição ao couro. a partir de 1940, por um alguns nomes famosos da moda internacional e logo se torna um objeto de desejo. A moda atual refaz novamente esses passos e hoje a bolsa de bambu volta a ser exaltada e desejada no mundo fashion. A madeira também tem sido muito utilizada na confecção de bolsas, tanto o corpo da bolsa em madeira, como às vezes só a lateral e principalmente nas alças.

Vime

Arte de trançar, tramar as varetas de palha seca. As varas passam por um processo de tratamento para lhes conferir elasticidade e torná-las mais fáceis de manejar, formando cestas estruturadas. O vime é uma fibra natural com ótima durabilidade e rigidez. Oriunda principalmente de climas frios, em regiões da África do Sul, Ásia, Europa e sul do Brasil. Há registros do seu uso desde o antigo Egito, nos mais diversos produtos devido a sua resistência e baixo peso. O acabamento é geralmente feito com cera ou verniz. Mantém o aspecto natural da palha, que em tempos em que a moda volta seu olhos para o artesanal rústico, a bolsa de vime é uma excelente opção.

Junco

Planta típica de terrenos alagadiços, a mais usada no Brasil é oriunda da selva amazônica. Usado em forma de trama, ele é uma fibra extremamente forte e resistente.

Palha de Rattan

É originária de uma planta da Ásia e da Oceania. Ele é usado em forma de trama, tem o aspecto bem parecido com o tramado do junco, por esse motivo, aqui no Brasil, muitas vezes é chamado de junco ou até de vime. Da família dos bambus, o rattan também pode ser usado na estrutura dos móveis e acessórios.

Sisal

É uma corda feita da fibra das folhas da Agave sisalana, planta originária do México e encontrada aqui no Brasil, na Bahia e Paraíba. Com essa corda é possível fazer tapeçaria e acessórios como bolsas e chapéus.

Palha de Milho

Muito usada no interior do Ceará, a palha de milho é coletada nas lavouras na época de colheita e pode ser armazenada por até 3 anos sem alteração de cor ou maleabilidade. O tingimento é realizado da mesma forma, fervendo a palha com água e anilina por alguns minutos e fixando as cores com sal. Após o tingimento as palhas são secas ao sol e estão prontas para serem trabalhada. Com palha do milho, artesãos criam bolsas, cestos, dentre outros. Produto é o principal meio de sobrevivência de artesãos da região.

Como você pode ver, os tipos de palhas usados na confecção das bolsas de palha são os mais variados, de diferentes origens e culturas, de tramas e formas únicas.

Agora você já viu um pouquinho de cada uma e tem mais elementos para escolher a sua e usufruir dessa tendência de moda artesanal e sustentável com a bolsa de palha que é a sua cara.

Powered by E-Com Plus